The Tube, Londres: o metro mais antigo do mundo

Tube Londres

Estação de metro


O metro de Londres, mais conhecido por “The Tube” foi oficialmente inaugurado no dia 10 de Janeiro de 1863. Com 151 anos de idade é a rede de metropolitano mais antiga do mundo, ultrapassada apenas pelo metro de Xangai. É também uma das mais movimentadas, a seguir ao metro de Moscovo e Paris.
A rede de metro londrina é composta por 11 linhas, que percorrem cerca de 400 km por 270 estações, onde viajam mais de 2 milhões de passageiros diariamente. Uma boa parte das linhas não é subterrânea e circula à superfície.
Waterloo é uma das maiores estações. Tem 23 escadas rolantes e é utilizada por 82 milhões de passageiros por ano. A estação Angel tem a escada rolante vertical mais comprida da rede, com cerca de 60 metros.
Metro de Londres

Metro de Londres

O tradicional símbolo do “The Tube”, um círculo vermelho cortado por um traço azul na horizontal remonta ao ano de 1908.
Pode dizer-se que a construção do metro se deveu a uma necessidade de diluir o trânsito da cidade. No início do século 19, as ruas de Londres estavam repletas de carroças, carruagens e autocarros de dois andares que eram puxados por cavalos. As obras foram conduzidas pelo engenheiro John Fowler. O início da abertura dos túneis teve a ajuda de 3.500 operários e como consequência o desalojamento de cerca 12 mil pessoas.

A primeira linha a ser inaugurada foi a estação de Paddington à Farringdon Street Via King´s Cross. Mais tarde, em 7 de Dezembro de 1869, entrou em funcionamento a primeira linha subaquática, a East London Railway, que atravessa o Rio Tamisa 23 metros abaixo da superfície.

Inicialmente o metro era a vapor. Para evitar a acumulação de fumo, gerado pelo carvão que ardia, certas partes da linha eram abertas para promover a circulação do ar. Os gases eram também acumulados dentro de um vagão especial. A partir de 1890 começaram a circular as primeiras carruagens eléctricas.

Inevitavelmente, durante a 2 Guerra Mundial, os londrinos utilizaram as carruagens e os túneis como abrigo dos ataques aéreos.

Em 150 anos de idade, ocorreram, pelo menos, três grandes dias negros no “The Tube”. Em 1975, um acidente na Northern Line provocou a morte a cerca de 43 pessoas. No ano de 1931, um incêndio na estação King´s Cross tirou a vida a 31 pessoas. Em 7 de Julho de 2005, um ataque bombista teve como consequência a morte de 52 pessoas.

Para além de ter inspirado outras redes de metro, o “The Tube” destacou-se numa vertente artística, desde o mapa inovador que não respeitava as reais distâncias geográficas entre as estações, aos posters de publicidade, à estrutura dos edifícios, à presença de esculturas de artistas como Eric Gill e Henry Moore.

Metro de Londres

The Tube

Como qualquer outra rede de metro, encontra-se dividida por zonas. A mais utilizada pelos turistas é a zona 1, que abrange Londres Central. O aeroporto de Heathrow localiza-se na zona 6. As linhas estão organizadas por cores e números.

Com mais de um século de duração, o “Tube” de Londres foi mudando, acompanhando o progresso tecnológico, a evolução e os hábitos dos seus passageiros. Mantêm-se as escadas rolantes que sobem e descem a pique. Carruagens que percorrem túneis e mais túneis mesmo à sua medida. Por isso, parece mesmo um tubo. Multidões que respiram um ar quente e abafado enquanto seguem para um lado e para o outro, frente a frente dentro das carruagens. Algumas até conseguem ler em pé agarradas a um pedestal, outras dormitam enquanto não chega a sua paragem. Invasões de placares publicitários que dão cor aos corredores cinzentos. Elevadores em tamanho xxl que transportam os passageiros até à superfície. É assim que se caracteriza o metro mais antigo do mundo.

Escadas rolantes Metro Londres

Escadas rolantes

Dica: sempre que utilizar as escadas rolantes encoste-se ao seu lado direito para permitir a passagem dos outros passageiros.

COMO UTILIZAR O METRO DE LONDRES
Para quem visita Londres, o melhor é comprar um travelcard que permite viajar ilimitadamente no metro, autocarros e algumas linhas de comboio do centro de Londres (tram, DLR, London Overground e National Rail Services). Os preços divergem entre os bilhetes que permitem transitar durante todo o dia (Anytime travelcards) e bilhetes Off-peak para quem viajar entre as 04:30 e as 09:29.

Preços dos Travelcards
Travelcard para 1 dia (zona 1):
Anytime travel card: 9.00 libras (procurar o carácter)
Off-peak: 8.90

Travelcard para 7 dias (todo o dia): 31.40

Para mais informações:https://www.tfl.gov.uk/modes/tube/?cid=fs109

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *