Nas festas de S.Gonçalinho, em Aveiro, chovem cavacas doces sempre que tocam os sinos.

Festa de S.Gonçalinho em Aveiro

Festa de S.Gonçalinho em Aveiro

Em inícios de Janeiro, no bairro da Beira Mar, realiza-se a romaria em homenagem a S.Gonçalo, um beato nascido no ano de 1190, em Arriconha, uma localidade perto de Guimarães e que é conhecido por curar doenças de ossos e resolver problemas conjugais. S. Gonçalinho, como é chamado, viveu algum tempo em Aveiro e foi nessa época que conquistou os habitantes da zona piscatória da Beira-mar. A romaria, tão popular, consegue atrair turistas, que se deslocam em pleno inverno à cidade para ver os festejos.

Capela de S.Gonçalinho

Capela de S.Gonçalinho

Para quem é de Aveiro, a festa de S.Gonçalinho é uma das romarias mais concorridas. As ruas que rodeiam a capela enchem-se de pessoas sempre que se ouvem os sinos a tocar, sinal de que vão começar a chover as cavacas. Na cúpula da capela, várias pessoas, carregadas com sacos de cavacas e em cumprimento das suas promessas, atiram os doces, um a um, perante multidões que se pisam e empurram na tentativa de apanhar o maior número possível de cavacas. E afastem-se aqueles que são simples mirones. A falta de experiência pode ter como resultado uma grande nódoa negra. Levar com uma cavaca dura que desce a grande velocidade faz mais estragos do que se pensa. Para os mirones e menos atrevidos, resta apenas colher alguns bocados de cavacas esborrachadas no chão. Aqueles que levam a “apanha” a sério estão devidamente apetrechados de guardas-chuvas virados ao contrário, camaroeiros, redes de pesca gigantes e todo o tipo de utensílios construídos manualmente que permitem prender as cavacas que voam.

Existem outras tradições associadas à romaria, entre elas a “dança dos mancos”, um ritual que se realiza dentro da capela no último dia da festa, em que os mordomos, responsáveis pela organização, repentinamente e com os capuzes sobre a cabeça, começam a dançar com paus, balanceando como se tivessem deficiências, ao som de uma música antiga cantada pelo público. Em outros tempos este ritual era realizado com a porta da capela fechada e só os convidados podiam assistir.

Cavacas à venda na Festa de S.Gonçalinho

Cavacas à venda na Festa de S.Gonçalinho

Outra das tradições é guardar uma cavaca, que foi atirada da capela e que caiu no chão, até à data da próxima festa e, claro, pedir um desejo. Segundo a tradição, as cavacas que caem ao chão são abençoadas pelo santo. Experimente e vai ver que a cavaca permanece intacta sem qualquer ponta de bolor até ao ano seguinte, altura em que deverá guardar uma outra cavaca, também atirada e caída ao chão, pedindo um novo desejo.

Como lembrança, a festa apenas oferece cavacas e mais cavacas, deliciosos doces cobertos com calda de açúcar branco. Vendem-se cavacas de dois géneros: duras e mais alongadas, para serem lançadas da capela, outras mais moles, para serem comidas. É claro, que as cavacas mais duras também são comestíveis e igualmente deliciosas, apesar de serem verdadeiramente duras de roer. De resto, a romaria de S.Gonçalinho localiza-se em pleno centro histórico de Aveiro e o programa musical costuma ter qualidade, daí que valha a pena uma visita a Aveiro nestes dias.

Festas de S.Gonçalinho 2015: de 9 de Janeiro a 12 de Janeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *